R. Irmã Benwarda, nº 53, Centro, Florianópolis/SC contato@prevencordis.com.br (48) 3037-3900 Trabalhe Conosco

Para que serve o eletrocardiograma e como é feito?

A medicina conta com uma série de ferramentas para auxiliar no diagnóstico de doenças e para indicar o melhor tratamento. Entre elas, está o eletrocardiograma (ECG). Trata-se de um exame que capta e registra a atividade do coração durante o seu funcionamento. Apesar de ser antigo, criado por volta de 1903, o eletrocardiograma é ainda muito utilizado pela sua eficácia e segurança. 

O médico cardiologista da Clínica Prevencordis, Dr. Marcelo Rossa (CRM 10042/ RQE 11164), explica que o exame “permanece sendo capaz de identificar com segurança inúmeras doenças ou problemas do coração, tanto nas avaliações de rotina, como nas indicações definidas, de forma prática e rápida permitindo salvar muitas vidas”.  

 

Para que serve o eletrocardiograma?

Por meio do eletrocardiograma é possível avaliar os batimentos do coração e detectar alguma anormalidade. O exame é indicado para diagnosticar diversas doenças do coração, principalmente, as arritmias cardíacas e doenças isquêmicas, ou seja, quando há obstrução das artérias coronárias. 

Além dessas, outras alterações podem ser detectadas no eletrocardiograma. Entre elas, distúrbios no ritmo cardíaco e na condução elétrica dos nervos do coração. 

Nas situações emergenciais, quando há suspeita de infarto do miocárdio, o eletrocardiograma é um dos primeiros exames a serem realizados. No entanto, também é um exame fundamental na avaliação cardiológica de rotina. 

 

Como o eletrocardiograma é feito

O eletrocardiograma é um exame simples, indolor e não invasivo. Em média, tem duração de 20 minutos. É realizado com o paciente deitado em uma maca, com a colocação de eletrodos no tórax, braços e pernas. 

Os eletrodos vão medir a condução elétrica do coração, que será registrada no aparelho chamado eletrocardiógrafo. A atividade do coração é representada graficamente e impressa para avaliação e elaboração do laudo do médico cardiologista.

O eletrocardiograma não tem nenhuma contraindicação e também não exige nenhuma preparação especial. Porém, nos homens, pode ser necessária a depilação das áreas em que serão colocados os eletrodos para melhor aderência do material. 

 

“Por ser um exame relativamente simples na sua realização, geralmente não costuma causar desconfortos. No entanto, algumas pessoas com limitações físicas, como problemas de coluna, por exemplo, ou portadores de necessidades especiais podem precisar de maior atenção do profissional executor a fim de tornar o exame o mais confortável possível.” – Dr. Marcelo Rossa (CRM 10042/ RQE 11164), cardiologista da Clínica Prevencordis.

 

Quem precisa realizar o exame?

Normalmente, o eletrocardiograma é realizado quando existe suspeita de doença cardíaca. No entanto, é solicitado também como exame de rotina da avaliação cardiológica, como forma de ação preventiva. 

Por isso, é importante estar atento aos sintomas e procurar um médico cardiologista se for o caso. A idade também é um indicativo para fazer uma consulta com o cardiologista e avaliar a necessidade de realização do exame. Homens com histórico familiar de doença cardíaca devem ir ao cardiologista aos 30 anos e, as mulheres, aos 40 anos. Quando não há a presença de fatores de risco associados, a idade aumenta para 45 anos, para os homens, e 50 anos, para as mulheres. 

 

Quando é necessário exame complementar ao eletrocardiograma?

É comum que os batimentos cardíacos e o fluxo sanguíneo apresentem anormalidades por um breve período. Por esse motivo, muitas vezes a alteração não é percebida durante a realização do eletrocardiograma. 

Nesses casos, o médico cardiologista avalia o laudo e, se for necessário, solicita complementação com outros exames cardiológicos. Entre eles, o Holter, que avalia a condução elétrica do coração por um período estendido, para elucidação diagnóstica.

O eletrocardiograma é de extrema importância para o diagnóstico de doenças cardíacas. A realização de exames com médico cardiologista especializado pode fazer toda a diferença no diagnóstico. Não deixe de consultar seu médico ao sinal de qualquer sintoma e sempre faça seus exames de rotina. A maioria das doenças cardiovasculares podem ser prevenidas. Mantenha uma vida saudável e conte com a Prevencordis sempre que precisar.